CVM aperta cerco a regimes de previdência dos Estados

25/07/2018 - Societário e Governança Corporativa

Em entrevista para o jornal Valor Econômico, Carlos Augusto Junqueira explicou os critérios da Instrução 476 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que incide sobre as ofertas e distribuição de ativos de empresas de capital aberto e fechado. Carlos Augusto destacou que não existe prospecto ou formulários para serem preenchidos pelos emissores, pois segundo as regras o nível de abertura de informações é menor, sendo que as ofertas só podem ser distribuídas para no máximo 50 investidores profissionais que possuam mais de R$ 10 milhões em investimentos aplicados.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Voltar